Danae

Danae
Klimt, Gustav

terça-feira, fevereiro 26, 2008




O verbo anda mudo
E nesse mundo cheio
Eu tenho o meio certo
De te trazer pra perto.
Mas mudo e meio
Permaneço cheio
Desse meu deserto.
Quando o verbo grita
Espia em medo
O meio copo
De saudades cheio.
Entornado ao seio
Nem mais cheio nem meio.
Oco e tanto.
Carolina Miquelassi

Um comentário:

Délia disse...

Sim , também ando cheia. E de tanto, e de tanto, que nem mais sei o quanto posso estar.

Beijos , Carol.