Danae

Danae
Klimt, Gustav

quinta-feira, agosto 14, 2008

"... fracasso desmedido de achar que o certo é sempre uma boa intenção"

Há uma casa que reside em mim na qual eu não entro mais. Mantenho-me da porta pra fora; hora a esperar o giro da maçaneta, hora a temer o choro das dobradiças. Há uma casa que reside em mim da qual me expulsei por não comportar-me bem. Se havia pó, espanava. Se havia água, secava. Pratos na pia, lavava. Brinquedos no chão, guardava. Maldita mania de querer mudar a ordem do dia.
Com meu cavalinho na chuva, espero que seque. As folhas do quintal, espero que o vento varra. As ameixas do pé, espero que caiam. O sol que fere meus olhos, que queime mais.

Um comentário:

Delia disse...

O comentário vai rimado, com carinho.

"Queria não deixar queimar.
Por-lhe um óculos escuro e um filtro solar.
Dar-lhe limonada, sombreiro, estéira, rede, o que precisar.
Te dar conforto e a sensação de verdadeiro lar.
Te dar morada na casa que é sua, e ninguém jamais, há de tomar."
__________________________________

beijos


p.s: amo vor aqui. lembrei disso. venho mais.